TEODORO

ESCREVER UMA ANATOMIA DELIRANTE

Nos últimos anos dediquei-me a compor uma coleção de pequenas peças de dança, dedicadas a uma parte do corpo. Esta coleção, intitulada Delirar a Anatomia, tem como objetivo reconstruir e abrir a percepção do nosso corpo físico libertando-o das suas formas e funções predestinadas (mão de agarrar, olho de olhar, boca de falar), usando a metáfora do delírio para acessar ao terreno íntimo e singular de cada corpo. No coração deste trabalho coreográfico está a escrita poética. Não só porque a escrita ajuda a compor e acessar a uma anatomia delirante: perna-língua, dedo-fios, mão-vagina, lábios-deserto, etc., mas também porque a escrita ajuda o corpo a se reconstruir longe da sua cegueira perceptiva ou sensorial. Tentaremos dar palavras ao sentir e concretizar pela escrita um corpo outro que está constantemente em movimento e transformação.

Para este atelier, iremos explorar a articulação entre palavras e gestos (movimentos e sensações) procurando constatar diferentes modos de operação desta relação. Interesso-me em particular por pensar formas que permitam complexidade e perplexidade em nomear, escrever e dançar, e que não estão sobre o domínio autoritário da visão e da relação pela ilustração ou a metáfora. Iremos observar como estas formas de articulação transformam a percepção do corpo físico. Apoiando-me no trabalho de artistas como Tatsumi Hijikata e Yoshito Ohno, de pedagogos-pesquisadores da anatomia experiencial como Andrea Olsen e Sofia Neuparth, e também de um conjunto de poetas e escritores que considero que o seu trabalho releva “potencial coreográfico” e propõe em si uma perspetiva outra, da percepção do corpo.

***

ANA RITA TEODORO é mestra em “Dança, Criação e Performance” pelo CNDC de Angers e Paris 8 (2011/2013), onde desenvolveu como pesquisa a criação de uma Anatomia Delirante. Foi aluna do CPCC do Fórum Dança (2002) e do Curso de Coreografia da Fundação Gulbenkian (2005). Estudou o corpo através das disciplinas de anatomia, paleontologia e filosofia no c.e.m com Sofia Neuparth, e o Chi Kung na EMTC de Lisboa. Depois de 2007 participa em workshops liderados por artistas e pesquisadores do butô. Em 2015 recebe a Bolsa de Aperfeiçoamento Artístico da Fundação Gulbenkian para estudar com Yoshito Ohno no Japão e desenvolve uma pesquisa centrada na prática do butô com o apoio do CND (Pantin, França). Desta pesquisa cria a conferência-performativa Your Teacher, please (2018). Criou as coreografias: MelTe (2009), Orifice Paradis (2012), Sonho d’Intestino (2013), Assombro (2015) Palco, Pavilhão (2017) e FoFo (2019).  Faz parte da Associação Parasita e é artista associada do CND.

+ info: UNFINISHED

Artwork © Jani Nummela